Separados, mas unidos: dicas para usar o tempo de quarentena a seu favor

  • Matérias
Separados, mas unidos: dicas para usar o tempo de quarentena a seu favor

O que quer dizer COVID-19?

Ouça o tópico "O que quer dizer COVID-19?" em áudio.

CoviD-19 é a sigla em inglês para Coronavirus Disease 2019 – em português, ‘doença do coronavírus 2019’. Trata-se de uma síndrome respiratória aguda grave – SARS, em inglês – provocada pela mutação de um ser vivo do grupo dos coronavírus, batizada de Sars-CoV-2. Embora tenha sido identificada pela primeira vez na província de Hubei, na China em novembro de 2019, pesquisadores ainda não foram capazes de mapear a origem exata do vírus. Desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) reclassificou a doença como uma pandemia, em fevereiro de 2020, diversas teorias da conspiração foram utilizadas por autoridades políticas em todo o mundo, para atribuir supostas responsabilidades a alguns personagens e garantir que a atividade econômica não fosse afetada pela recomendação de isolamento social. No entanto, cientistas empenhados em estudos da CoviD 19 não encontraram evidências suficientes para amparar esses argumentos.

Numa pandemia não há culpados

Ouça o tópico "Numa pandemia não há culpados" em áudio.
Ilustração: animais dispostos em fileira a frente de um paredão como suspeitos de crime. 1º vaca, 2º porco, 3º galinha, 4º morcego e 5º pangolim.
Numa pandemia não há culpados. Todos são prejudicados.

Delegar aos outros a responsabilidade pela consequência de nossas atitudes costuma ser uma saída conveniente. Em tempos de pandemia é intuitivo apontar um animal ou um vírus como o culpado pela situação de caos que se alastra pelo mundo. De fato eles são responsáveis, mas não são os únicos. Há milênios o homem explora a natureza em prol de seus interesses particulares. Alteramos diariamente e, inconsequentemente, o planeta em que vivemos. Modificamos plantas, bactérias e animais para que funcionem a nosso favor. Estamos tão iludidos por uma ideia de “soberania humana” que nos esquecemos que somos apenas mais uma espécie em meio a tantas outras que habitam a terra. Somos apenas parte de um todo. Ao invés de culpar à natureza pelo impacto que estamos sofrendo em nossas vidas, que tal aproveitarmos esse momento para pensar em como impactamos a vida de outros seres e ecossistemas e como podemos melhorar nisso.

Distancie-se das fake news

Ouça o tópico "Distancie-se das fake news" em áudio.
Ilustração: coronavírus enviando uma notícia falsa num grupo do WhatsApp.

De maneira rápida e letal o novo coronavírus se espalha pelo mundo. Essa ameaça invisível tem causado pânico na população. Nos fez repensar nossos hábitos, traçar medidas preventivas e dar maior atenção ao conhecimento científico. Mas essa não é a única ameaça invisível e letal que se espalha rapidamente pelo mundo. Informações falsas, disseminadas como verdadeiras também podem ser consideradas uma ameaça aos indivíduos do século XXI. Assim como o vírus, as fake news são transmitidas por meio de atitudes rotineiras e inconsequentes, são espalhadas por cidadãos comuns e geram um enorme impacto na sociedade, podendo ter, até mesmo, consequências fatais. Então por que não rever seus hábitos de consumo de informação e lavar suas mãos da irresponsabilidade? Cheque a informação que chegou até você, evite contaminar os outros!

Três dicas para não disseminar notícias falsas sobre o COVID-19

  1. Busque por fontes oficiais:
    O Ministério da Saúde, por exemplo, tem disponibilizado informações na sua rede social do twitter (@minsaude). Além disso, no aplicativo Coronavírus – SUS, você consegue encontrar dicas de cuidado e a localização da unidade de saúde mais perto de você.
  2. Informe-se bem:
    A melhor forma de combater notícias falsas é estar sempre bem informado. Assim, alguns jornais virtuais liberaram nos sites o acesso de não assinantes para reportagens sobre o coronavírus. Aproveite a oportunidade para ler matérias jornalísticas de qualidade e se atualizar. Estão nessa lista: Folha de S. Paulo, Estadão, O Globo e Nexo Jornal.
  3. Em caso de dúvida, dá um Google:
    Estamos em um momento de informações ao mesmo tempo. Se você está com dúvida sobre algo, pesquise no Google e não em redes sociais. Claro, lembrando sempre das dicas anteriores na hora dessa pesquisa.

Por fim, se você souber de algum amigo que compartilha conteúdo falso nas redes sociais, vale dar aquele toque. Devemos ter cuidado com as mensagens compartilhadas e buscar sempre a informação verdadeira.

Orientações

Ouça o tópico "Orientações" em áudio.
Não vá para o hospital sem necessidade.
Responsabilidade e empatia.
Pânico é inútil.

Sites para baixar livros gratuitamente (e legalmente)

Ouça o tópico "Sites para baixar livros" em áudio.
Como tirar proveito de tudo isso?
Viver as aventuras dos livros tem sido uma boa alternativa para ativar a imaginação e relaxar a mente nesse período de quarentena. Separamos 3 sites em que você pode encontrar histórias interessantes e viajar sem sair de casa:
  1. Portal Domínio Público:
    Criado em 2004, o acervo possui conteúdo já em domínio público ou que tenham sua divulgação autorizada por constituírem patrimônio cultural brasileiro e universal. São mais de 120 mil obras literárias, artísticas e científicas em diversas plataformas (texto, sons, imagens e vídeos).
  2. Open Library:
    O objetivo desse acervo é catalogar todos os livros publicados no mundo. Assim, com mais de 1 milhão de títulos, você tem a oportunidade de encontrar livros de diversos idiomas e treinar uma nova língua.
  3. Amazon:
    A grande norte-americana do comércio eletrônico disponibiliza milhões de livros virtuais em formato e-book. São 30 assuntos diversos que podem ser lidos na plataforma kindle pelo computador.

3 sites gratuitos para ver filmes e jogos de futebol

Ouça o tópico "3 sites gratuitos para ver filmes e jogos de futebol" em áudio.
Os cinemas e os estádios foram os primeiros lugares que fecharam com a chegada do coronavírus ao Brasil. Nesse cenário, alguns sites liberaram o acesso das suas plataformas para não assinantes. Confira abaixo algumas dicas!
  1. Spcine Play: O Spcine Play, streaming da empresa de fomento ao cinema da prefeitura de São Paulo, tem um catálogo com as principais mostras e festivais de cinema da cidade. Os filmes vão desde shows e espetáculos até longas da Mostra do Audiovisual Negro (APAN) e clássicos brasileiros como o especial do Zé do Caixão.
  2. Footballia: Se você faz parte do time das pessoas que, desde o dia 16 de março, está sedenta por um jogo de futebol, seus problemas acabaram! Além dos canais esportivos, uma boa alternativa é o Footballia, uma plataforma inglesa que possui mais de 17 mil partidas de futebol na íntegra. Basta fazer um cadastro e a bola já corre para o campo! E o melhor é que você pode conferir tudo sem sair de casa e de forma gratuita! Então pega a sua pipoca, junta o pessoal no sofá e apague as luzes que a sessão (ou o jogo) já vai começar!
  3. Festival Varilux de Cinema Francês: Com a edição nos cinemas adiada por conta do coronavírus, o Festival Varilux lançou o #VariluxEmCasa, iniciativa que reúne 50 filmes exibidos em edições anteriores do tradicional festival de cinema francês. Tem comédias, dramas, thrillers e filmes históricos diretamente para a sua casa. A seleção ficará disponível por 4 meses a partir do final do mês de abril.

Cartilha de Saúde LGBT em tempos de Pandemia COVID-19

A Secretaria Municipal da Saúde de Salvador, juntamente com o Ambulatório Multidisciplinar em Saúde de Travestis e Transexuais CEDAP/SESAB, o Coletivo De Transs pra Frente e com o Centro de Promoção e Defesa dos Direitos LGBT da Bahia elaboraram um material em formato de cartilha sobre saúde LGBT em tempos de pandemia. O conteúdo pode ser acessado através do link: (PDF) Cartilha de Saúde LGBT em tempos de Pandemia COVID-19.

Créditos

Ouça o tópico "Créditos" em áudio.
  • Pesquisa e redação: Kevin Accioly Kamada, Natália Faria Santos e Tatiana Aguiar
  • Projeto gráfico: Ana Beatriz R. Ribeiro, Erick de Alencar e Profa. Dra. Fernanda Henriques
  • Editoria geral: Profa. Dra. Angela Maria Grossi
  • Versão em áudio:
    • Roteiro: Kevin Kamada
    • Edição: João Pedro Voltarelli
    • Locucação: Barbara Viotto, Kevin Kamada e Vinícius Nascimento
    • Coordenação: Profa. Dra. Suely Maciel.